Logo

Etiquetas: cresce a procura por substratos sofisticados


Substratos sofisticados têm maior procura
 
De acordo com as últimas pesquisas da FINAT, associação europeia para a indústria de etiquetas autoadesivas, a utilização de substratos sofisticados registou um aumento de procura e tem ajudado ao crescimento do mercado das etiquetas.

Desde 2010, a procura por materiais à base de PP tem crescido 78%, 51% pelos papeis térmicos e 24% pelos papeis brancos revestidos. Apesar dos substratos de papel serem os mais utilizados, tem havido uma procura por materiais sofisticados para aplicações de alto valor.
 
Jules Lejeune, Diretor da FINAT, comenta: “O crescimento contínuo da procura por bens de consumo embalados, especialmente em economias emergentes, aumentou a necessidade de materiais brancos revestidos, à medida que os utilizadores finais procuram diferenciar os produtos de marca na prateleira. Etiquetas que contém dados variáveis, de produtos em setores como retalho, logística, automação de processos e gestão de stock, exigem um volume cada vez maior de papéis térmicos diretos. Mas acima de tudo, a necessidade de decoração de produtos de alta qualidade em setores de alta velocidade e alto volume, como a área alimentar, cuidados com saúde, beleza e bebidas premium, está a impulsionar o aumento no consumo de rótulos com base em PP”.
 
A tendência está a levar os produtores de etiquetas autoadesivas a oferecer soluções de embalagem de alta qualidade como bolsas, sleeves e outros itens de embalagem flexíveis. Eles também estão a investir na formação, instalações e programas de credenciamento correspondentes, como no caso da segurança alimentar.
 
Os resultados baseiam-se numa taxa de crescimento de 4,7% na Europa no consumo total de materiais de etiquetas autoadesivas, até 7,45 milhões de m2 em 2017, ligeiramente abaixo da média de 5,4% nos últimos quatro anos.
 
European Label Industry Labelstock consumption 1996 2017
 

Europa Oriental impulsiona crescimento

 
A evolução contínua dos mercados da Europa Oriental também continua a ser um fator-chave de crescimento e tem ajudado as empresas europeias de etiquetas a registrarem um aumento de quase 1,7 biliões de m2 na procura anual desde 2010.

Os mercados estabelecidos, Alemanha, Reino Unido, Itália, França e Espanha, ainda representam 58% do tamanho total do mercado europeu, com as emergentes Polónia e Turquia a aproximar-se. Aliás, devem desafiar os cinco primeiros nos próximos anos.
 
Existem, no entanto, disparidades europeias significativas quando se compara a procura em termos de consumo per capita. Enquanto a média europeia de 9,7 m2 se aproxima do benchmark de 10 m2, a Dinamarca, a Lituânia e os Países Baixos (todos pequenos países orientados para a exportação) consumiram quase 17,5 m2 per capita.
 
Os 10 países mais pobres registraram um consumo inferior a 5 m2 per capita. Entre eles estão a Roménia, a Rússia e a Turquia, representando quase 250 milhões de habitantes ou um quinto da população total dos países em análise. Isso indica que ainda há um enorme potencial para crescimento estrutural futuro. O potencial não considera o escopo ampliado do setor de rótulos em embalagens flexíveis.
 

Perspetivas de curto prazo: sinais de desaceleração económica?


Existe uma correlação estatística clara entre a procura por rotulagem e o clima económico geral de acordo com a agência da FINAT, Panteia. Olhando para trás, a mudança geral do ciclo económico nos países da UE28 nos últimos 15 anos foi "anunciada" por uma reversão da procura de matérias-primas nos trimestres anteriores.

Lejeune afirma: "Dadas as incertezas atuais associadas ao Brexit, a escalada das guerras comerciais entre a UE e os EUA, a continuação das sanções comerciais contra a Rússia e, finalmente, as preocupações emergentes sobre o euro após a instalação do novo governo italiano, não é de surpreender que a diferença entre as taxas de crescimento anualizadas na indústria de etiquetas e no PIB tenha diminuído nos últimos trimestres após cinco anos de contínuo crescimento das taxas das GPPs”.
 
IMG 5080

 

Mercados flutuantes

 
Os outros parceiros de pesquisa de mercado da FINAT, a LPC Inc., realizaram pesquisas técnicas e entrevistas individuais com marcas em toda a Europa, para a edição de 2018 do FINAT RADAR. O crescimento médio anual das vendas nos últimos cinco anos foi de 7,1%, embora tenha diminuído em 2017 em comparação com anos anteriores.
 
Curiosamente, as maiores taxas de crescimento foram registradas em mercados não-prime, como automotivo, bens de consumo duráveis e produtos químicos industriais, enquanto os maiores setores de rotulagem de alimentos e bebidas continuam entre os cinco principais mercados em crescimento.
 
Isso dá aos membros da FINAT uma perspetiva única sobre o setor de rotulagem europeu e sobre as tendências e forças que estão a levar as marcas a adotarem e implementarem tecnologias específicas de rotulagem e formatos de decoração. Duas tendências dominam: os rótulos principais estão a tornar-se cada vez mais complexos e os rótulos não primários estão cada vez mais funcionais.

Lejeune conclui: “O futuro continua brilhante para os rótulos. Quando questionados sobre qual setor de embalagens impressas oferece a maior inovação, várias vezes as marcas afirmam que os fornecedores de rótulos oferecem mais inovação e agilidade em relação a aos fornecedores de embalagens flexíveis, caixas e cartão ondulado”.
 
O desempenho robusto da economia da zona do euro, graças a um mercado de trabalho em recuperação e a uma procura externa saudável, apoia o crescimento contínuo do setor de rótulos. Como resultado, as marcas procuram maneiras de se conectar com os clientes. Um método é através da decoração da embalagem.
 
À medida que as marcas se esforçam para alcançar uma abordagem específica, elas exigem tiragens mais curtas e prazos mais rápidos para acomodar os requisitos de funcionalidade de design e rótulo num estágio final. Isso está a impulsionar a adoção da imprensa digital e molda como os departamentos de marketing e Pesquisa & Desenvolvimento criam campanhas cativantes para o consumidor.
Pixelpower