fbpx
Login
Atualizado a 18 Jun, 2019

Como manter a segurança na Internet, segundo a Google

Designed by rawpixel.com / Freepik
 
A YouGov fez um estudo para o Google que mostra quais as informações que os portugueses mais se preocupam em proteger. Entre eles estão os dados pessoais, como a morada, e dados bancários como, por exemplo o cartão de crédito.
 
O estudo procurou perceber o tipo de experiências vividas pelos portugueses na navegação online e, os resultados revelam que 50% dos entrevistados já passaram por alguma tentativa de phishing por e-mail.
 
A pensar nisso, a Google revela que se preocupa na segurança dos produtos fornecidos e que no Gmail, por exemplo, o machine learning ajuda o sistema a impedir que mensagens falsas de spam e phishing apareçam na caixa de entrada, com precisão de 99,9%.
 
“Quando criamos um produto a segurança é sempre um dos principais nossos focos de atenção. A conta Google, por exemplo, é protegida automaticamente, e ao partilharmos as melhores práticas e ferramentas de segurança com outras organizações é possível ajudarmos a fazer da Internet um lugar mais seguro para todos” explica Helena Martins, responsável de políticas públicas da Google Portugal.
 
O estudo foi realizado pelo YouGov para a Google. A amostra são 1007 entrevistas a portugueses adultos que foram realizadas on-line entre os dias 27 de dezembro de 2018 e o dia 8 de janeiro de 2019. Os dados são ponderados e são representativos da população adulta portuguesa
 
Entre as recomendações para melhorar a segurança online encontram-se as abaixo mencionadas.

1. Mantenha o software atualizado
Apenas 17% dos portugueses dizem, no estudo, atualizar o software mais de uma vez por mês. Os utilizadores devem usar a versão de software mais recente em todos os dispositivos.

Algum software, por exemplo o Chrome, faz atualizações automáticas. Em outros serviços em que são enviadas notificações a alertar para novas atualizações de software, os utilizadores deverão fazê-lo logo que possível e não adiar.

2. Use passwords únicas para cada conta
Os portugueses recorrem, cada vez mais, a diferentes passwords para todos os serviços online. 42,3% dos portugueses entrevistados disseram ter diferentes passwords para todos os serviços e 27,6% usam a mesma password somente para alguns serviços on-line. E quase 42% dos portugueses já têm associado a todas as suas contas online um telefone de recuperação ou um endereço de e-mail.
 
3. Tenha um número ou e-mail para recuperar uma conta
Mais de 41% das pessoas afirmaram que mantêm essa melhor prática em todas as suas contas, enquanto quase 40% disse que apenas para algumas contas.
Em muitos serviços de internet ter o método de recuperação de conta pode ajudar a alertar um utilizador quando há uma atividade suspeita na sua conta ou ajudá-lo a bloquear, se necessário, alguém de utilizar a sua conta sem autorização.
 
4. Faça o checkup de segurança da Google
Quase 25% dos entrevistados disseram recorrer pelo menos uma vez por mês ou mais a ferramentas para reverem as definições de segurança online como por exemplo o checkup de segurança da Google. E por outro lado, quase 20% dos portugueses atualizam as suas passwords de contas online uma vez por mês ou mais de uma vez por mês.
 
5. Adote a autenticação de dois passos
A autenticação de dois passos reduz significativamente a possibilidade de alguém conseguir ter acesso não autorizado à sua conta. No estudo, 45% dos portugueses afirmaram usar a verificação em dois fatores em algumas de suas contas, enquanto apenas 24% o fazem para todas as contas onlines. A autenticação em dois passos requer um segundo passo para aceder à sua conta, para além do nome e password. Tanto pode ser um código a receber no telemóvel como por exemplo um código de 6 dígitos gerados por uma app ou uma chave física de segurança.