Login

O Banco Europeu de Investimento (BEI) concedeu um empréstimo de €40 milhões à The Navigator Company

O empréstimo concedido pelo banco da UE destina-se à modernização da fábrica de pasta de papel da Figueira da Foz
O Banco Europeu de Investimento (BEI) concedeu um empréstimo de €40 milhões à The Navigator Company. O empréstimo concedido pelo banco da UE destina-se à modernização da fábrica de pasta de papel da Figueira da Foz, para aumentar a capacidade de produção em 12 % (70 000 toneladas por ano). Os investimentos visam ainda a redução das emissões de poluentes e o aumento da eficiência na utilização da energia e dos recursos.
 
 
A Vice-Presidente do BEI, Emma Navarro, e o Presidente Executivo da Navigator Company, Diogo da Silveira, assinaram o acordo. Na cerimónia realizada em Lisboa, Emma Navarro sublinhou: «A ação climática e a coesão contam-se entre as nossas principais prioridades. É, por isso, com enorme satisfação que apoiamos um investimento que beneficiará uma região de coesão em Portugal, melhorando simultaneamente o desempenho ambiental da indústria portuguesa da pasta e do papel. Com esta operação, contribuímos também para apoiar o desenvolvimento sustentável e o emprego no país, melhorando a pegada ambiental e promovendo a competitividade internacional de uma empresa líder na Europa».
 
A modernização da fábrica na Figueira da Foz reduzirá em 17 % o consumo de energia necessário para produzir uma tonelada de pasta de papel. Será reduzido o consumo de água, bem como os produtos químicos utilizados.
 
«Com este investimento, demonstramos uma vez mais a capacidade de renovação da companhia e damos mais um passo na modernização do complexo com mais e melhor tecnologia que nos permitem aumentar a capacidade de produção e diminuir a pegada de carbono» Diogo da Silveira, CEO da The Navigator Company
 
As emissões de gases com efeito de estufa também irão baixar, graças à implementação de tecnologias mais eficientes e à substituição de combustíveis fósseis por uma maior utilização de energia renovável produzida a partir de biomassa.
 
A fábrica da Figueira da Foz apenas utiliza matéria-prima proveniente de florestas certificadas por sistemas de certificação florestal reconhecidos internacionalmente ou considerada como madeira controlada.
 
O aumento da capacidade de produção permitirá servir mercados internacionais onde existe uma procura crescente por fibras renováveis, contribuindo para estabilizar os preços da mercadoria internacional no médio a longo prazo.
 
Ao apoiar a competitividade do setor industrial, o banco da UE também contribuirá para a criação de postos de trabalho indiretos na fileira florestal e na cadeia de fornecimento de madeira nas economias rurais. Além disso, a fase de construção criará o equivalente a 300 postos de trabalho.
 
 
O banco da UE em Portugal

O Banco Europeu de Investimento (BEI) é a instituição de financiamento a longo prazo da União Europeia, cujo capital é detido pelos Estados-Membros. Concede financiamentos a longo prazo para investimentos viáveis que contribuam para a concretização dos objetivos políticos da UE.

Em 2017, o Grupo Banco Europeu de Investimento (BEI) concedeu um total de €1 905 milhões para financiar 25 operações em Portugal, que foi um dos 10 países da UE a receber mais apoio financeiro do Grupo BEI. Este financiamento representou cerca de 1 % do PIB português.

Cerca de 20 % da atividade total do Grupo BEI em Portugal em 2017 foi consagrada ao combate às alterações climáticas. O financiamento centrado na promoção do crescimento económico sustentável e na modernização de instalações hídricas totalizou €360 milhões em 2017, o que representa um aumento de 40 % face a 2016.

Na qualidade de maior financiador multilateral de projetos no domínio da ação climática a nível mundial, o BEI consagra pelo menos 25 % dos seus investimentos à atenuação das alterações climáticas e adaptação aos seus efeitos, apoiando o crescimento com baixas emissões de carbono e resistente às alterações climáticas.

Em 2017, o Banco Europeu de Investimento ultrapassou o seu objetivo em termos de ação climática pelo oitavo ano consecutivo, disponibilizando €19 400 milhões para financiar o combate às alterações climáticas.

Em 2018, o BEI celebra 60 anos a melhorar as condições de vida na Europa e no resto do mundo e tem mais de 11 900 projetos de investimento sustentável em cerca de 162 países.