Login

Livro sobre a imprensa e novo núcleo museológico em Faro apresentados amanhã

Faro Paco Episcopal

A inauguração de um novo núcleo museológico e o lançamento da obra “As artes gráficas e a imprensa em Portugal (4 volumes) séc. XV a XIX” vão agitar a cidade de Faro, amanhã, dia 3 de novembro, a partir das 15h45. Ambos os eventos decorrem na antiga capela do Paço Episcopal.

O novo núcleo museológico vai expor uma réplica do “Pentateuco”, impresso em Faro por Samuel Gacon em 1487, marcando o início da imprensa em Portugal. A peça pertence ao museu da Fundação Portuguesa das Comunicações, que vai ceder o livro a título de empréstimo. O Pentateuco, do grego "os cinco rolos", é composto pelos cinco primeiros livros da Bíblia, segundo alguns teólogos. Entre os judeus é chamado de Torá, uma palavra da língua hebraica com significado associado ao ensinamento, instrução, ou literalmente Lei, uma referência à primeira secção do Tanakh, os primeiros cinco livros da Bíblia hebraica, cuja autoria é atribuída a Moisés.

Para as 16h30 está previsto o lançamento da obra de José Pacheco, com quatro volumes, intitulada “As artes gráficas e a imprensa em Portugal (4 volumes) séc. XV a XIX”. O designer, professor e investigador José Pacheco, publica o resultado de um trabalho de duas décadas, tendo contado com a colaboração de João Simões, da Arnaldo Matos Pereira, Lda. e José Quaresma, da Palmigrafica, Lda.


O evento conta ainda com a presença de Guilherme Oliveira Martins e Manuel Cadafaz Matos, estando aberto a todas as empresas e entidades interessadas.


José Pacheco é Licenciado em Design de Comunicação pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, Mestre em História da Arte pela Universidade Nova de Lisboa, doutorado em Ciências da Arte pela Universidade de Lisboa e um especialista em Teoria e História do Design Gráfico em Portugal. Ligado a diversas editoras, empresas jornalísticas e ateliers de comunicação visual já colabora com diversos jornais e revistas, nacionais e regionais, tendo já dirigido o semanário Povo do Algarve. Participou no V Centenário do Livro Impresso em Portugal (1987) e nas Comemorações do Centenário do nascimento de Stuart Carvalhais (1987), com a organização de uma exposição retrospetiva no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian.


É autor das obras “A Divina Arte Negra e o Livro Português, séculos XV e XVI”, “Stuart e o Desenho de Imprensa”, “A Arqueologia de uma Gravura”, “Manuel Teixeira Gomes – Numa Sublime Cruzada em Busca do Belo”, bem como “Gutenberg e a invenção da imprensa”.


O projecto de investigação “O Typographo na Contemporaneidade do Designer Gráfico” foi distinguido com o “Prémio João Branco”, atribuído pela Universidade de Aveiro e pela família do professor e designer João Branco.


José Pacheco é também professor no ISMAT – Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes, em Portimão.