fbpx

O saco de papel que será oferecido a todos os visitantes da Feira do Livro de Lisboa, que se realiza entre 27 de agosto e 13 de setembro, foi produzido pela The Navigator Company, numa iniciativa conjunta com a APEL – Associação Portuguesa de Editores e Livreiros.

No total serão 30 mil sacos em papel, feitos com material natural de origem renovável, que a The Navigator Company irá entregar aos vários livreiros presentes na Feira para que os possam partilhar com cada visitante no ato da aquisição dos livros, permitindo-lhes assim o transporte dos vários exemplares num suporte reciclável e biodegradável.

Sacos Navigator FLL

“O papel é um suporte natural, renovável, reciclável e totalmente biodegradável, cujos atributos dificilmente se encontram em outros materiais. Ao associar-se pelo segundo ano consecutivo à APEL e à 90ª Edição da Feira do Livro de Lisboa, a The Navigator Company assume o compromisso sustentável de proteger o planeta e apelar, através da oferta de sacos feitos em papel, para a importância da redução da pegada ecológica e para a adopção de atitudes que salvaguardem o futuro do ambiente”, refere a empresa em comunicado.

O papel é o resultado de uma cadeia de produção que depende da plantação de árvores e em que os padrões ambientais são, cada vez mais, exigentes e rigorosos.

A indústria moderna de papel não utiliza madeira proveniente de florestas naturais, pelo que a matéria-prima por si transformada resulta de árvores plantadas especificamente para esse fim – quando se utiliza papel está-se a dinamizar a plantação de árvores e a contribuir para a sustentabilidade da floresta.

Por outro lado, o processo de fabrico do papel cumpre os critérios de sustentabilidade que orientam uma indústria consciente e responsável na salvaguarda do ambiente, tanto na gestão ativa e profissional da floresta, como na utilização de energia renovável, na utilização racional da água, na gestão dos seus resíduos e subprodutos e, também, no aproveitamento do papel e seus derivados para a reciclagem, atualmente um dos meios que permitem o prolongamento da sua utilidade.

A Feira do Livro de Lisboa é considerada o mais icónico evento que promove, desde há nove décadas, a importância da literatura na comunidade e fomenta o gosto pela leitura.

Mesmo em ano de pandemia e num natural contexto de incerteza económica, editores e livreiros não hesitaram em participar na 90.ª Edição da Feira, tornando-a na segunda maior até ao dia de hoje, superando a edição de 2018 em número de pavilhões (310), igualando-a em participantes (117) e aumentando as marcas editoriais (chancelas) presentes (638).