fbpx

A Cepi, Confederação das Indústrias Europeias do Papel, e a EPIS, a Associação Europeia do Sector da Indústria da Pasta, lançaram a iniciativa #GreenSource, para explicar como é que as indústrias de fibras florestais tornam real o objetivo de neutralidade climática de 2050. Na iniciativa estão envolvidas duas empresas e uma associação portuguesas: a Celulose Beira Industrial, a The Navigator Company e a Celpa.

GreenSource

 

"Podemos ajudar a descarbonizar a economia e revolucionar os hábitos de consumo graças às nossas alternativas inovadoras aos materiais de base fóssil. De acordo com um estudo recente da Material Economics, 25% dos plásticos poderiam ser facilmente substituídos por papel e cartão já hoje sem comprometer a funcionalidade do produto final", comentou Jori Ringman, diretor-geral da Cepi.

A indústria das fileiras florestais pretende oferecer soluções inovadoras às necessidades dos cidadãos europeus e contribuir para um estilo de vida sustentável, garantindo ao mesmo tempo que as florestas continuam a crescer, a absorver CO2 e a proteger a biodiversidade.

Um estudo científico sobre o efeito climático do sector florestal na União Europeia, encomendado pela Cepi, mostra que, graças às florestas e aos produtos florestais, todos os anos tiramos 806 milhões de toneladas de CO2 da atmosfera – o que corresponde a 20% das emissões anuais da UE - ao mesmo tempo que trazem 3,5 milhões de postos de trabalho, especialmente para as zonas rurais.

As indústrias referem que têm soluções alternativas para muitos sectores: meios de comunicação, embalagens, cuidados de saúde e higiene, mas também, e cada vez mais, para os têxteis. Os materiais à base de celulose podem até substituir a grafite usada em tecnologias portáteis e as possibilidades são praticamente ilimitadas em biorrefinarias.