Login

Nespresso investe na reciclagem das embalagens e cria uma Ecocamera

Anna Lenz, Catarina Furtado e Isabel Jeunet

O Centro de Exposições da Fundação Champalimaud recebeu ontem, véspera do Dia Mundial da Reciclagem, um evento da Nespresso, com apresentação de Catarina Furtado, para divulgar as estratégias de reciclagem da empresa. Foi ainda altura para o lançamento da Ecocamera, uma câmara fotográfica feita a partir de alumínio reciclado.
 
“Isto não é o Fim. É um novo começo.” É desta forma que a Nespresso apresenta a sua função no seio da comunidade onde está inserida. Sendo um assunto cada vez mais premente face à pegada ambiental cada vez mais pesada, a aposta na sensibilização é um caminho a seguir, não só de forma direcionada aos adultos, mas também a um público mais juvenil.
 
A importância do destino que o consumidor dá às cápsulas do café é cada vez mais importante e crucial para que a reciclagem funcione e ganhe uma função relevante na sociedade.
 
Isto não é o fim, é um novo começo
 
Anna Lenz, market director da Nespresso Portugal, marcou presença no evento e explicou a forma como a marca pretende investir e reforçar o seu papel na reciclagem. “A nossa cápsula tem uma coisa muito particular. Quando colocam, por exemplo, uma embalagem de um iogurte ou uma caixa de ovos no ecoponto, o produto que estava dentro não está lá mais. Mas com o nosso café é diferente. Depois de usada, dentro da embalagem de alumínio continua a ter a borra do café e, por isso, o ecoponto amarelo não pode receber as nossas cápsulas. E como não queremos que elas terminem no aterro, desenvolvemos um sistema próprio de reciclagem”.
 
Os clientes da Nespresso podem entregar as cápsulas em qualquer loja Nespresso por todo o país. E quem opta por encomendar o café e receber na morada, pode entregar as cápsulas ao estafeta. Isto é um processo em que a Nespresso, segundo Anna Lenz, não tem qualquer lucro, apenas um investimento grande. A marca tem investido cerca de meio milhão de euros por ano para fazer reciclagem.
 
Ao sensibilizar os consumidores, a Nespresso também quer atingir os mais novos. A marca tem estado em parceria com o município de Torres Vedras para fazer campanhas de sensibilização em cerca de 50 escolas do concelho. Incentivam as crianças a entregarem as cápsulas utilizadas dos pais, levando-as a participar em todo o processo.
 
Além de reciclar, a Nespresso também quer intervir no campo da solidariedade. Além de servir para criar uma bebida quente, o café também tem outras funções. As borras de café são excelentes para criar compostos que vão servir de fertilizante para plantas. Neste caso, o fertilizante feito à base do composto das borras de café serve para fomentar o crescimento de arroz que, ao invés de ser comercializado, é doado ao Banco Alimentar contra a Fome. Ao todo, a Nespresso já entregou cerca de oito milhões de refeições a quem mais precisa.
 

Ecocamera

Armando Bento e a Ecocamera

E o alumínio das cápsulas? A Nespresso responde com uma máquina de fotografia Pinhole 100% analógica. Depois da produção da máquina, a marca de café convidou António Homem Cardoso, Armando Bento e Joel Santos, três fotógrafos portugueses a quem desafiaram para que fotografassem locais, com a Ecocamera, que gostariam de encontrar intactos no nosso planeta, se voltassem em 2218. As fotografias foram expostas no evento. A Ecocamera não vai ser comercializada, mas servirá como oferta a quem a empresa considere, por exemplo, quem mais contribui para a reciclagem.