fbpx
Login
Atualizado a 21 Mar, 2019

Fujifilm quer mais impressão com abertura da Wonder Photo Shop em Lisboa

Wonder Photo Shop

Promover a impressão e libertar as fotografias presas em suportes digitais são dois dos grandes objetivos que levaram a Fujifilm a apostar na criação da Wonder Photo Shop.

O conceito que já conta com mais de 100 espaços em todo o mundo já chegou ao Centro Comercial Colombo, em Lisboa, graças a uma parceria com a Worten.

Masato Yamamoto

Ontem, foi inaugurado o espaço, com a presença de Masato Yamamoto, o presidente da Fujifilm Europa, que foi também o impulsionador da ideia das lojas especializadas, inaugurando a primeira do género no Japão.

“A Wonder Photo Shop é o meu bebé, porque há cinco anos, em 2014, eu abri a primeira no Japão. Quantas fotografias têm nos vossos smartphones? 1000? 2000? Talvez mais? Enquanto elas permanecerem nesse dispositivo não são uma fotografia e torna-se muito difícil aquele bom momento com aqueles amigos. Imprimir, fazer decorações de parede, colagens, photo books…há tantas formas de apreciar e tornar melhor a vida” Masato Yamamoto, President & Managing Director Fujifilm Europe
 
Na Wonder Photo Shop é possível imprimir fotografias em variados tipos de suportes, incluindo em rígidos, para criar vários tipos de produtos como álbuns personalizados, convites presentes e objetos de decoração. Basta levar o dispositivo móvel ou uma pen, ligá-la a um dos quiosques e proceder à personalização e encomenda. A impressão é feita na hora, com recurso aos laboratórios da Fujifilm ou a uma Roland, que se destina à impressão a laser nos materiais como os acrílicos, por exemplo.

 “Temos tido várias levas de inovação e esta experiência, que temos muito orgulho em representar, a Wonder Photo Shop, traduz muito do que queremos que seja a nova Worten, muito mais aberta para enriquecer o espaço físico e aproveitar o apoio humano que é possível dar numa loja como esta”, comenta Miguel Mota Freitas, o CEO da Worten para a Ibéria.
 
“Queremos fazer coisas novas na fotografia que de alguma forma venham devolver a cultura fotográfica”, comenta Pedro Mesquita, presidente da Fujifilm Iberia.
 
Masato Yamamoto, Pedro Mesquita e Teresa Fonseca

Teresa Fonseca, Manager Photo Imaging Portugal, comentou: “Esta é a primeira Wonder Photo Shop em Portugal, naquela que é a principal loja da Worten. Este é o culminar de um projeto que nasceu há uns meses atrás e que passou pela instalação de 130 quiosques de impressão da Fujifilm em todas as lojas Mega e Super da Worten”.
 
Adiantou ainda: “Este conceito nasce de uma grande transformação a nível mundial, que passou pela digitalização e pela alteração do perfil do consumidor. Efetivamente, há 20 anos, um consumidor capturava e imprimia em média 36 fotos por ano, o equivalente a um rolo tradicional. Hoje em dia, existem 3.5 biliões de telemóveis em todo o mundo, 1.2 biliões de fotos são capturadas digitalmente e 85% dessas fotos são capturadas via telemóvel. Portanto, a Fujifilm achou que fazia falta um espaço que pudesse atrair a “Geração Smartphone”, que gosta de estar num ambiente informal, agradável, onde a tecnologia transpira e onde se pode facilmente ligar a um quiosque e imprimir as fotos, numa qualidade espetacular e, simultaneamente, criar objetos de decoração, para oferecer às pessoas que mais gostamos… No fundo, fazer com que o cliente seja o centro da criatividade e da experiência".
 

Nas lojas também é possível encontrar as câmaras fotográficas Instax assim como os consumíveis das mesmas, que tanto têm atraídos os mais jovens.
 
workshop

O evento, frequentado por muitos jovens, contou ainda com um workshop sobre Scrapbooking, orientado pela ilustradora Joana Soares, blogger do Violeta Cor de Rosa.


Um aviso aos profissionais

O espaço é claramente para o consumidor final, mas o objetivo da Fujifilm é que outros possam abrir em breve. Para isso, conta que os profissionais interessados em abrir uma Wonder Photo Shop entrem em contacto com a marca, que lhes providenciará todo o apoio e orientação.
 
IMG 9699

O investimento poderá oscilar entre os 6 e os €25 mil, dependendo do tipo de tecnologia que se quer no espaço e dos tipos de produtos que se quer comercializar. Ter um quiosque e respeitar o tipo de decoração é essencial, sendo que a Fujifilm não restringe o recurso a outros fornecedores do mercado, no que respeita, por exemplo, aos álbuns, molduras e outros materiais.