fbpx

Após o Brexit, a União Europeia e o Reino Unido tornar-se-ão os maiores parceiros comerciais uns dos outros no que diz respeito à pasta, produtos de papel e papel para reciclagem.

Muitas empresas têm operações de ambos os lados com cadeias de abastecimento integradas e equipas europeias. Por isso, a Cepi, organização que representa as empresas do setor, marcou uma posição, apelando a que seja garantido o tempo suficiente para concluir as negociações do Acordo de Comércio Livre.

© kjpargeter / Freepik© kjpargeter / Freepik

 

Hoje, são comercializadas anualmente cerca de 8,1 milhões de toneladas de pasta, papel para reciclagem, papel e produtos de papel convertidos entre o Reino Unido e os 27 países da União Europeia (UE27), por um valor de 7,3 mil milhões de euros.

A UE27 exporta perto de 4,1 milhões de toneladas de papel, 0,7 milhões de toneladas de produtos de papel convertidos para o Reino Unido, bem como 0,4 milhões de toneladas de pasta. 

O Reino Unido exporta cerca de 1,1 milhões de toneladas de papel para reciclagem, 0,8 milhões de toneladas de papel e 0,7 milhões de toneladas de produtos de papel convertidos para a UE27.

Segundo a Cepi, os objetivos deveriam ser os seguintes:

  • A competitividade da indústria da pasta e do papel deve manter-se na UE e no Reino Unido e assegurar um ambiente pró-investimento tanto no Reino Unido como na UE;
  • As cadeias de abastecimento existentes entre a UE e o Reino Unido não devem ser perturbadas nem por novas tarifas nem por quaisquer novas barreiras não pautais;
  • Reconhecendo o papel fundamental que o Reino Unido desempenha no apoio à bio economia circular, não deve haver novos entraves ao comércio de papel para reciclagem;
  • Os custos e atrasos relacionados com os procedimentos aduaneiros e as regras relativas ao transporte de mercadorias entre o Reino Unido e a UE devem ser minimizados, embora eficazes, graças a uma cooperação reforçada;
  • As normas e os métodos de conformidade dos produtos, máquinas e equipamentos devem ser mutuamente reconhecidos entre o Reino Unido e a UE, a título de facilitar a simplificação aduaneira;
  • A circulação de profissionais qualificados entre a UE e o Reino Unido deve ser facilitada tanto quanto possível;
  • Os sistemas regulatórios da UE e do Reino Unido devem continuar a ser equivalentes após o Brexit, especialmente nas áreas do clima, ambiente, energia, concorrência e segurança dos produtos.

A reciclagem

Atualmente, são comercializados anualmente cerca de 1,2 milhões de toneladas de papel para reciclagem entre o Reino Unido e a UE27. A Cepi apela a que esse fluxo seja apoiado após o Brexit.

A UE e o Reino Unido têm taxas de reciclagem de, respetivamente 71,3% e 87,2%. A UE, no âmbito do Green Deal e da estratégia de economia circular, e o Reino Unido, no âmbito da Estratégia de Resíduos e Recursos, têm metas ambiciosas de reciclagem.

É essencial, diz a entidade, manter uma infraestrutura de reciclagem, evitar atritos desnecessários, com especificações claras existentes e disposições existentes para os movimentos de reciclagem de papel.

As cadeias não devem ser perturbadas nem por novas tarifas nem por novas barreiras não pautais. A UE importa cerca de 1,1 milhões de toneladas de papel para reciclagem do Reino Unido. Esta tonelagem é uma matéria-prima vital para a indústria europeia do papel e uma valiosa saída de clientes de exportação para reciclagem, uma vez que o Reino Unido é um exportador de papel para reciclagem e a UE um importador.

Na base está a EN 643, incluindo para o comércio transfronteiriço entre a UE e o Reino Unido. Especifica as qualidades utilizadas na indústria do papel na EU e no Reino Unido, e informa as autoridades a nível local e nacional sobre as qualidades finais a obter dos sistemas de recolha e da triagem das infraestruturas.

O Plano de Ação para a Economia Circular, em geral, bem como a indústria europeia do papel, identificam o papel separado para a recolha de reciclagem como pré-requisito para a reciclagem de alta qualidade.

Desde que o documento para a reciclagem esteja em conformidade com as especificações da EN 643, não há necessidade de formalidades adicionais. Os custos e atrasos relacionados com os procedimentos aduaneiros e as regras relativas ao transporte de papel para reciclagem entre o Reino Unido e a UE devem ser minimizados, diz a Cepi, o que está atualmente a funcionar graças aos acordos anteriores e à necessidade mútua de reciclar o papel.