fbpx

c_875_700_16777215_00_images_2020_CheeseMe_9.jpg

Fundada em 2016, a Cheese Me foi a primeira agência em Portugal dedicada em exclusivo ao marketing de influência no Instagram. Mais de 500 campanhas depois, a marca chega ao TikTok e anunciou um rebranding com um novo logotipo e claim focado inteiramente na criação de conteúdo.

Sérgio Meireis, o CEO da empresa, anunciou o rebranding da marca durante um jantar que decorreu no La Squadra Ristorante, em Lisboa, que contou com a presença de marcas parceiras que desde sempre acreditaram nos criadores de conteúdo, como a L’Oréal Portugal e a Martini.

O novo logótipo mais apelativo e o novo claim focado na criação de conteúdos representa uma nova etapa num mercado em constante transformação e foi apresentado a uma centena de content creators - com o total de um milhão de seguidores de alcance - ao lado do rapper português ProfJam.

Com uma comunidade de mil criadores divididos por diferentes clusters (de família, viagem, beleza, comida e desporto), a agência conta com colaboradores como Joana Vaz, Carolina Nashtai e Sofia Reis.

Cheese Me

A Cheese Me desenvolveu também um estúdio fotográfico com diferentes cenários disponíveis para a comunidade utilizar sempre que quiser. Queremos desvincular-nos da palavra e do conceito de influenciador para assumir o conceito de criador de conteúdos”, conclui Sérgio Meireis. Mas o objetivo, esse, permanece o mesmo: ligar marcas aos criadores mais relevantes do Instagram e do TikTok.

Porquê o TikTok?

Filipe Vaz tem 16 anos e é um criador popular no TikTok com aproximadamente 160 mil seguidores. “Eu instalei a aplicação há cerca de três anos por pura curiosidade, gostei dos vídeos de vários criadores, inspirei-me neles para fazer os meus vídeos e comecei a receber seguidores e likes”.

Com a saturação de canais como o Facebook e o Instagram, a aplicação chinesa despertou a atenção dos adolescentes entre os 16 e os 24 anos e, hoje, soma mais de 1,5 mil milhões de downloads só em 2019.

Os criadores de conteúdo do TikTok fazem vídeos (normalmente de 15 segundos) originais, curtos, engraçados e de fácil consumo que fazem a diferença no dia das pessoas”, adianta o amigo David Brás, com 145 mil seguidores.

O cantor Justin Bieber aderiu ao TikTok para divulgar a música “Yummy" e, a nível nacional, o rapper português ProfJam já desafiou criadores de conteúdos a partilharem nas redes sociais o lançamento do seu novo single “HEI”.

Cheese Me

O vencedor do disco de ouro pelo álbum “#FFFFFF” acredita no poder dos criadores de conteúdo. “Foi uma ideia que surgiu espontaneamente em colaboração com a agência Cheese Me mas que, para mim, faz todo o sentido”, diz ProfJam. “Os criadores entram aqui como aglomeradores de uma audiência e, tal como eu, colocam o seu cunho e personalidade naquilo que comunicam”.

Atualmente, a importância dos content creators como canais de distribuição para music labels é inegável. “Todas as músicas que eu ouço no meu dia-a-dia são as músicas que ouço nos vídeos do TikTok”, confessa o tiktoker David Brás.

Já ficou comprovado que o TikTok tem o poder de tornar uma música viral. Por exemplo, se um vídeo de dança tem 20 milhões de visualizações é muito provável que as pessoas ouçam a música, tenham ficado com ela na cabeça e, depois, pesquisado no YouTube”, calcula Filipe Vaz. É o caso de músicas como “Roxanne” ou “Old Town Road” que ganharam extrema notoriedade a partir de curtos vídeos de dança que desafiam a duetos, brincadeiras e sincronia labial.

O TikTok não só permite a artistas musicais portugueses acederem ao mercado internacional mais facilmente como permite às marcas interagirem com os consumidores de forma mais improvisada, real e rápida.

A Cheese Me foi a primeira agência portuguesa a lançar uma campanha para a Garnier Pure Active nesta rede social, que se revelou um sucesso. Como uma rede social que ainda é pouco competitiva, a Cheese Me acredita que as marcas conseguem facilmente atrair a atenção dos consumidores com um toque criativo, inovador e descontraído.

 

Com Sílvia Silva