fbpx

A Caima, biorefinaria do Grupo Altri que produz fibras celulósicas para a indústria têxtil, vai investir 40 milhões de euros na construção de uma nova caldeira de biomassa. Com este investimento, a empresa vai abandonar os combustíveis fósseis em todo o seu processo de produção, de modo a garantir a autonomia energética de fontes exclusivamente renováveis.

Caima sustentabilidade2© Caima

Através do projeto “Caima Go Green”, a Caima prevê que a nova central a biomassa funcione em articulação com a central existente da GreenVolt, substituindo - com aumento da capacidade - a caldeira a biomassa existente. A caldeira também fará a recolha e valorização de emissões gasosas industriais.

José de Pina, CEO da Altri, diz que “este é um passo importante para a Caima, não só por permitir um reforço da produção de fibras celulósicas e de novos projetos de inovação, mas principalmente pela aposta feita numa unidade que passará a ser totalmente verde, gerando energia para toda a unidade, mas também para disponibilizar à rede.”

O investimento de 40 milhões de euros deverá ser concluído até ao final de 2024, sujeito às aprovações regulamentares. A energia produzida nesta nova central a biomassa a partir de resíduos florestais permitirá responder à totalidade das necessidades de energia térmica da fábrica localizada em Constância, e vai aumentar a capacidade de produção de energia elétrica, permitindo injetar mais energia verde na rede.